Definindo as Interações Medicamentosas


Para falarmos e pesquisarmos sobre as interações medicamentosas. é importante que se defina o seu conceito. Para isso, segue abaixo uma breve explicação formada por trechos retirados de um artigo da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos/MS.

Interação medicamentosa é evento clínico em que os efeitos de um fármaco são alterados pela presença de outro, constituindo causa comum de efeitos adversos. Quando dois medicamentos são administrados concomitantemente a um paciente, eles podem agir de forma independente ou interagirem entre si, com aumento ou diminuição de efeito terapêutico ou tóxico de um ou de outro.

O desfecho de uma interação medicamentosa pode ser perigoso quando promove aumento da toxicidade de um fármaco. Por exemplo, pacientes que fazem uso de varfarina podem ter sangramentos se passarem a usar um AINE sem reduzir a dose do anticoagulante.

Algumas vezes a interação reduz a eficácia de um fármaco, podendo ser tão nociva quanto o aumento. Por exemplo, tetraciclina sofre quelação por alimentos lácteos sendo excretada nas fezes sem produzir o efeito antimicrobiano desejado. Há também interações benéficas que são úteis, como por exemplo a de anti-hipertensivos e diuréticos.

As interações tendem a causar mais problemas nos idosos, público no qual o funcionamento dos rins e fígado é afetado, modificando a velocidade de eliminação dos fármacos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário