Lamotrigina e drogas que interferem no seu metabolismo


A lamotrigina é usada como droga antiepilética no tratamento de crises convulsivas parciais e generalizadas. Age nos canais de sódio estabilizando as membranas neuronais e inibindo a liberação de neurotransmissores excitatórios, responsáveis pelo desencadeamento das crises.

A UDP-glicuronil transferase foi identificada como sendo a enzima responsável pelo metabolismo da lamotrigina. Desta forma, há drogas que interferem no processo de glicuronidação da lamotrigina e assim aumentam ou reduzem o seu metabolismo, consequentemente reduzindo ou aumentando a sua meia vida.

Valproato produz significativa inibição da glicuronidação da lamotrigina (Reduz o metabolismo e aumenta a meia vida)

Carbamazepina, fenitoína, primidona, fenobarbital, rifampicina, lopinavir/ritonavir, atazanavir/ritonavir e associação de levonorgestrel/etinilestradiol produzem significativa indução da glicuronidação da lamotrigina (Aumentam o metabolismo e reduzem a meia vida)

Lítio, bupropiona, olanzapina, oxcarbazepina, felbamato, gabapentina, levetiracetam, pregabalina, topiramato e zonisamide não interferem de forma significativa no metabolismo da lamotrigina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares