Amiodarona x Digoxina


Amiodarona é um agente antiarrítmico que atua através de diferentes mecanismos, tais como o alongamento do potencial de ação da fibra cardíaca, inibição adrenérgica alfa e beta não competitiva, entre outros.

Digoxina é um glicosídeo digitálico indicado no tratamento de arritmias e insuficiência cardíaca congestiva. Altera a distribuição iônica através da membrana celular produzindo aumento da contratilidade do miocárdio.

INTERAÇÃO: O aumento na concentração plasmática da digoxina é possível, pois seu clearance é reduzido em decorrência da ação inibitória de enzimas do citocromo P450 produzida pela amiodarona ou seu metabólito. Os níveis do digitálico devem ser monitorados, assim como o ECG. Sinais clínicos de toxicidade pela digoxina não podem ser ignorados, pois é provável que exista a necessidade de se ajustar a posologia.




Midazolam x Carbamazepina


Midazolam é um benzodiazepínico usado como hipnótico-sedativo
Carbamazepina é um anticonvulsivante que age inibindo a descarga neuronal repetitiva e reduz a propagação sináptica dos impulsos excitatórios

A carbamazepina reduz os níveis séricos de midazolam em cerca de 90%, com consequente redução dos efeitos farmacológicos do sedativo. Para alcançar a sedação, será necessário uma dose maior de midazolam ou até mesmo uma outra alternativa terapêutica para esta finalidade.

Levotiroxina x Antiácidos



Levotiroxina é um hormônio tireoidiano utilizado na terapia de reposição ou suplementação hormonal em pacientes com hipotireoidismo de qualquer etiologia.

INTERAÇÃO: Antiácidos que contenham alumínio ou magnésio poderão afetar a absorção da levotiroxina, fazendo com que o efeito terapêutico desejado não seja alcançado. Se houver a necessidade de uso do antiácido durante tratamento de reposição hormonal tireoidiana, recomenda-se intervalo que seja superior a 2h entre a administração dos fármacos.




Os artigos mais populares