Biodisponibilidade e Bioequivalência


O termo biodisponibilidade é utilizado para mostrar a fração do fármaco que alcança a circulação sistêmica. Indica a velocidade e a extensão da absorção do componente ativo em forma de dosagem a partir de sua curva de concentração/tempo na circulação sistêmica. 

A biodisponibilidade é determinada comparando os níveis plasmáticos do fármaco após sua administração por determinada via com os níveis deste após a administração endovenosa. Colocando em gráfico as concentrações plasmáticas do fármaco versus tempo, é possível determinar a área sob a curva (ASC).

A bioequivalência consiste na demonstração da equivalência farmacêutica entre produtos apresentados sob a mesma forma farmacêutica, contendo idêntica composição qualitativa e quantitativa de componente ativo e biodisponibilidade comparável quando estudados sob um mesmo protocolo experimental.

Os produtos farmacêuticos bioequivalentes apresentam velocidade e extensão de absorção similares quando administrados em doses molares idênticas, únicas ou múltiplas, em condições experimentais semelhantes.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares