Anti-inflamatórios aumentam risco de doenças cardíacas


Pesquisas anteriores já haviam apontado a relação entre anti-inflamatórios e problemas cardíacos, mas um estudo publicado pela revista científica Lancet fez, pela primeira vez, uma análise em detalhe sobre o assunto.

Pesquisadores da Universidade de Oxford analisaram os prontuários de 353 mil pacientes para obtenção de parâmetros quanto ao impacto dos anti-inflamatórios, no caso os não esteroides (AINEs), nos quadros clínicos em observação. Foram detectadas receitas médicas com altas doses de anti-inflamatórios, acima das que são utilizadas rotineiramente para fármacos como diclofenaco ou ibuprofeno.

Concluiu-se que, para cada mil pacientes analisados, o risco de ataque cardíaco aumentava de 8 para 11 por ano. Também foram registrados quatro casos adicionais de falência cardíaca, além de mais casos nos quais houve sangramento estomacal.

"Três casos adicionais de ataque cardíaco por ano pode parecer um risco baixo, mas cabe aos pacientes julgarem se querem tomar os medicamentos", disse o pesquisador-chefe, Colin Baigent. O médico salientou que os resultados da pesquisa não devem causar preocupação em quem utiliza doses baixas dos anti-inflamatórios para tratar uma cefaleia, por exemplo.

Contudo, ele alerta para o fato de que a chance de desenvolver complicações cardíacas se eleva nos indivíduos predispostos ou que apresentarem histórico de cardiopatias na família.

Fonte: http://www.bbc.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares