Anti-inflamatórios e Amamentação (Parte I)


Os AINEs estão entre os fármacos mais utilizados pela nutriz durante a lactação, principalmente no puerpério imediato. Em geral são prescritos para o alívio de dor relacionada com intervenções cirúrgicas, cólicas uterinas e mastites.

Devido ao grande número de fármacos analgésicos seguros para uso durante a lactação, não se deve permitir a sensação de dor pelas nutrizes. Na atualidade, os AINEs considerados mais seguros para uso durante a lactação são paracetamol e ibuprofeno, devido ao curto tempo de ação, ausência de metabólitos ativos e de relatos sobre efeitos adversos sobre o lactente.

Muitos estudos brasileiros demonstram a freqüente prática do uso de medicamentos durante a lactação. Um estudo com 2161 mulheres no pós-parto imediato em maternidades de Belo Horizonte mostrou uso dos AINEs em 77,8%. Em Itaúna, município próximo à capital mineira, pesquisa com 246 nutrizes revelou uso desse tipo de medicamentos pela quase totalidade (99,6%) das puérperas no pós-parto imediato.

Os AINEs mais utilizados foram diclofenaco (36,3%), cetoprofeno (18,7%), dipirona (13,5%), paracetamol (0,7%), ácido acetilsalicílico (0,4%) e tenoxicam (0,2%). Após a alta hospitalar, as nutrizes foram seguidas durante o período de 12 meses ou até a interrupção da amamentação. Também nesse período os AINEs foram a classe farmacológica mais utilizada, sendo a dipirona o fármaco mais usado.

A elevada freqüência da utilização dos AINEs pelas nutrizes reforça a necessidade de informações em bulas baseadas em dados científicos quanto ao uso desses fármacos durante a lactação. Porém, as indústrias farmacêuticas costumam classificar AINEs sabidamente seguros como contraindicados durante este período.

No próximo artigo do blog constarão alguns dos fármacos envolvidos em estudo, acompanhados das divergências de informação entre a bula e a análise científica.

Fonte: scielo.org




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares