Como ocorrem interações com a glibenclamida?


A glibenclamida é um hipoglicemiante oral que pertence ao grupo das sulfonilureias, ao lado de fármacos como a glimepirida, clorpropamida e gliclazida. O mecanismo de ação consiste no estímulo às células do tipo beta-pancreáticas para que ocorra a liberação de insulina.

Interações medicamentosas envolvendo a glibenclamida, ou mesmo outra sulfonilureia, ocorrerão produzindo potencialização ou atenuação do efeito hipoglicemiante esperado dentro do esquema terapêutico de indivíduos diabéticos. Deste modo, veremos a seguir alguns fármacos que, quando associados ao tratamento com a glibenclamida, terão um destes papeis.

Potencialização: IECA (captopril, enalapril), varfarina, fibratos (ciprofibrato, fenofibrato), fluoxetina, fenilbutazona, betabloqueadores (atenolol, propranolol), quinolonas (ciprofloxacino, norfloxacino), ácido acetilsalicílico e claritromicina.

Atenuação: barbitúricos (fenobarbital), corticosteroides (prednisona, betametasona), diuréticos (hidroclorotiazida, espironolactona), contraceptivos orais (levonorgestrel, etinilestradiol) e também hormônios tireoidianos (levotiroxina).




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares