Farmacologia: Mecanismos de Ação


Após a administração, o fármaco promoverá alterações fisiológicas no organismo para que ocorra a ação farmacológica. Assim, este fármaco percorrerá determinados caminhos, identificados como mecanismos de ação e alvo de estudo de um ramo da farmacologia: a farmacodinâmica. Vejamos a seguir algumas formas pelas quais os fármacos podem agir: 

Atuação sobre enzimas: podem atuar ativando ou inibindo enzimas. Um exemplo desta ação é a interação de anticolinesterásicos com a enzima acetilcolinesterase, resultando no aumento da concentração da acetilcolina.

Interação com proteínas carregadoras: essas proteínas facilitam o transporte de substâncias através da membrana celular, sendo o alvo de diversos fármacos que atuam competindo com essas substâncias pelo sítio de ligação. A fluoxetina, por exemplo, atua inibindo a recaptação de serotonina, promovendo o aumento de sua concentração na fenda sináptica.





Interferência com os ácidos nucleicos: fármacos que afetam a função gênica, podendo atuar como inibidores da biossíntese dos ácidos nucleicos. Por não possuírem seletividade, apresentam alto grau de toxicidade. Os agentes quimioterápicos, identificados como antineoplásicos, servem como exemplo.

Interação com receptores: podem atuar ativando ou bloqueando os receptores. Fármacos que ativam os receptores são conhecidos como agonistas, enquanto antagonistas são aqueles que atuam bloqueando os receptores. O propranolol, por exemplo, é um antagonista não seletivo de receptores beta-adrenérgicos. A nafazolina é um exemplo de agonista alfa-1 adrenégica.

Fonte: http://www.infoescola.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares