Metilfenidato - aumento do uso indiscriminado


O metilfenidato é utilizado por alguns indivíduos para fins não médicos e de forma indevida, visando aumentar o estado de alerta. Entretanto, o abuso de medicamentos de venda com receita médica, em particular aqueles que contem substâncias controladas, é motivo de preocupação em vários países. Várias substâncias, principalmente as precursoras, estão sendo obtidas ilicitamente da extração do princípio ativo do medicamento acabado.

Os relatos de abuso de metilfenidato se tornam cada vez mais comuns com a popularização do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Devido às suas propriedades psicoestimulantes, o fármaco tem sido usado para aumento do rendimento intelectual em diversas áreas de estudo. Um levantamento feito por 40 entidades de saúde e de educação do país mostra que, no intervalo de um ano, o Sistema Único de São Paulo aumentou em 54,9% a compra e a distribuição gratuita de metilfenidato, a chamada "droga da obediência".





Não foi só a rede pública paulista que registrou aumento da distribuição do fármaco entre 2010 e 2011, conforme mapeou o Fórum sobre Medicalização da Sociedade e da Educação. Na rede de farmácias particulares o mesmo fenômeno é atestado. Em levantamento feito pelo Sindusfarma, que reúne as drogarias do País, foi apontado o crescimento de 50% nas vendas no período de quatro anos. Entre setembro de 2007 e outubro de 2008 foram vendidas 1.238.064 caixas, enquanto entre setembro de 2011 e outubro de 2012 os números passaram para 1.853.930.

A grande preocupação quanto ao metilfenidato consiste no uso inadequado, não relacionado ao uso aprovado para o TDAH, apesar de que o medicamento não é indicado para todos os casos. Sua vinculação ao diagnóstico de TDAH tem sido fator predominante de justificativa para tal crescimento.

Fonte: fai.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares