Azitromicina pode causar arritmias potencialmente fatais


O Food and Drug Administration (FDA) alerta que a azitromicina pode causar alterações na atividade elétrica cardíaca, produzindo ritmo irregular potencialmente fatal.

Os pacientes com maior risco de desenvolver esta condição incluem aqueles com fatores de risco conhecidos, tais como prolongamento do intervalo QT, baixos níveis sanguíneos de potássio ou magnésio ou ainda o uso prévio de medicamentos que tratam arritmias.

Foi relatado aumento nas mortes cardiovasculares em pessoas tratadas com um curso de cinco dias de azitromicina em comparação com as pessoas tratadas com a amoxicilina ou ciprofloxacino. Os riscos de morte cardiovascular associados ao tratamento com o levofloxacino foram semelhantes aos associados com o tratamento com a azitromicina.





Os profissionais de saúde devem considerar o risco de torsades de pointes e ritmos cardíacos fatais com o uso da azitromicina quando se levam em conta as opções de tratamento para pacientes que já possuem algum risco para eventos cardiovasculares. O FDA observa que o potencial risco de prolongamento do intervalo QT com a azitromicina deve ser colocado em contexto apropriado ao escolher uma medicação antibacteriana.

Fármacos alternativos do grupo dos macrolídeos, ou não-macrolídeos, tais como as fluoroquinolonas, também têm o potencial de prolongamento do intervalo QT ou outros significativos efeitos que devem ser observados no momento da escolha de um antibacteriano.

Fonte: news.med.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares