Desmame de Glicocorticoides


O desmame dos glicocorticoides deve ser considerado em função dos seguintes motivos: evitar a deficiência de cortisol resultante da supressão do eixo hipotalâmico-hipofisário; evitar a recidiva da doença subjacente; evitar o desenvolvimento da síndrome de abstinência ou a dependência. 

Supressão: o tempo necessário para que se atinja a supressão do eixo hipotalâmico-hipofisário depende da dose, do tempo de tratamento e da susceptibilidade individual, provavelmente devido às diferenças em suas taxas de metabolismo de glicocorticoides. A seguir veremos quando se entende que há ou não há supressão.





Não Suprimido: Os pacientes que podem ser considerados com ausência de supressão do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal são aqueles que tenham recebido dose não-parenteral de glicocorticoides por menos de três semanas, além de pacientes tratados em dias alternados com corticoterapia em doses fisiológicas.

Suprimido: O critério que inclui os pacientes que devem ser assumidos com a supressão da função hipotálamo-hipófise-adrenal é o de receber mais de 20mg de prednisona por dia, durante mais de três semanas. Além disso, a corticoterapia deve ser reduzida gradualmente para permitir a recuperação da função hipotálamo-hipófise-adrenal.

Intermediário: A categoria intermediária de pacientes que podem ter supressão do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal inclui aqueles que utilizaram 10-20 mg de prednisona por dia durante mais de três semanas. Esses pacientes não precisam ser testados, a menos que a terapia seja interrompida de forma abrupta ou em caso de estresse agudo, como no caso de uma cirurgia.

Fonte: fs.unb.br/farmacologiaclinica




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares