Fluoxetina e disfunções sexuais


Os fármacos incluídos no grupo dos inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS), tomando como exemplo a fluoxetina, podem causar, em homens e mulheres, alguns tipos de disfunções sexuais.

A ocorrência mais comum é a redução da libido, ou seja, diminuição do desejo sexual. Também é comum o retardo ejaculatório no homem e a dificuldade em obtenção do orgasmo na mulher, o que pode ser mais intenso em alguns casos, os quais recebem o nome de anorgasmia, de forma que o orgasmo não é alcançado, seja com a relação sexual ou com a masturbação.

A impotência sexual geralmente é secundária, decorrente da perda do desejo. Significa dizer que, com a diminuição da libido, naturalmente é mais difícil manter a excitação sexual e, consequentemente, a ereção. O problema, no entanto, não é permanente e tudo volta à normalidade com a interrupção do tratamento.

Há de se considerar ainda a possibilidade de tratamentos auxiliares, os quais podem servir ao paciente para amenizar os sintomas aqui descritos, sem que seja necessário abandonar o uso do antidepressivo.

Fonte: doctoralia.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares