Piroxicam e dismenorreia primária


Em um estudo conduzido com o objetivo de se avaliar o piroxicam como fármaco de escolha para tratar a dismenorreia primaria, 40 pacientes foram acompanhadas durante três periodos menstruais seguidos, na posologia de 40mg (dois primeiros dias) seguida de 20mg (dois dias seguintes) sempre em dose única diaria.

No primeiro periodo de tratamento, do total das pacientes, 30 (75%) não sentiram mais dor ou, no caso da queixa, foi descrita com leve intensidade. No segundo periodo, este número se elevou para 36 pacientes (90%) e, no terceiro período, para 37 (92,5%) do total de 40 pacientes tratadas.





Somente uma paciente (2,5%) apresentou dor de intensidade leve antes do tratamento. Houve diminuição da severidade com os períodos de tratamento e regressão precoce da dor (a partir da quarta hora do primeiro dia de tratamento).Os sintomas associados e o índice de absenteísmo também diminuíram significativamente.

Reações adversas leves (epigastralgia, pirose etc) ocorreram em 6 pacientes (15%). Os dados obtidos conduziram os pesquisadores à conclusão de considerar o piroxicam como fármaco de escolha para o tratamento da dismenorreia primária.

Fonte: bases.bireme.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares