Ácido Valproico e Desregulação Gênica


Apesar do ácido valproico ser considerado um dos melhores fármacos utilizados no tratamento da convulsão e da epilepsia, ele também possui contraindicações, especialmente entre as gestantes. Pode desencadear malformação fetal, impedindo a boa formação do sistema nervoso e podendo levar o feto a óbito. “Sabendo que o ácido valproico age sobre o funcionamento dos genes, pode-se compreender melhor que ele é capaz inclusive de desregular o desenvolvimento embrionário”, conforme Marina Barreto, pesquisadora do Instituto de Biologia da UNICAMP.

A descoberta de Marina é vista como uma contribuição adicional ao entendimento da desregulação gênica por certos fármacos, como o ácido valproico. De acordo com a docente, se quiserem detectar o efeito sobre a estrutura da cromatina numa célula que integra um tecido animal que foi tratado com esse fármaco ou também em uma célula em cultura, o acesso com análise de imagem, efetuada em nível de microscopia de luz, será perfeitamente possível.

No caso da cromatina, verifica-se que ela fica com uma espécie de “frouxidão”. Isso é demonstrado mediante a análise das imagens, na qual atribui-se cores falsas (as pseudocores) a elementos que compõem a cromatina. A análise de um núcleo de célula que foi, por exemplo, tratada com o fármaco, mostra alteração sob a forma dessas pseudocores, o que indica uma descondensação da cromatina.

Quando um fármaco é escolhido para um tratamento, às vezes ele não desvenda todo o seu mecanismo de ação de início. Não se sabia, exemplifica ela, que – nos primórdios da utilização do ácido valproico – ele pudesse ter alguma ação em células tumorais e ser benéfico por conseguir diminuir a proliferação celular. À medida que o tempo transcorre, novas questões são aventadas e a problemática passa a ser abordada sob diferentes perspectivas. Isto é muito comum de ocorrer com pesquisas em ciência básica.

Fonte: unicamp.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares