Ações da Angiotensina II na Regulação da Pressão Arterial


A primeira ação da Angiotensina II ocorre no sistema circulatório, especificamente nas veias. As veias contêm 70% de todo o sangue do corpo e as células musculares lisas presentes no sistema venoso possuem receptores para a angiotensina II. Sabendo que a função é a de vasoconstrição, conclui-se facilmente que as veias sofrerão constrição, aumentando a pressão dentro do sistema.

Depois de passar pela circulação pulmonar, esse aumento de volume e pressão chega ao lado esquerdo do coração, fazendo as células do miocárdio se distenderem. De acordo com a lei de Frank Starling, quanto mais as células miocárdicas são distendidas, maior será a sua força de contração. Dessa maneira, há aumento do débito cardíaco e aumento da pressão sistólica. Finalmente chegamos ao objetivo de tudo isso, o aumento da pressão sistólica.





A segunda ação da angiotensina II, ainda no sistema circulatório, ocorre sobre as arteríolas. Essa ação ocorre simultaneamente à constrição das veias, com o objetivo de não deixar o sangue retornar facilmente as vênulas. Um exemplo rápido: durante a diástole, a válvula aórtica se fecha. Se as arteríolas não tiverem sofrido constrição, o sangue retornaria facilmente as veias, perdendo pressão no sistema arterial, o que não é o objetivo. Portanto, ao mesmo tempo em que as veias sofrem constrição, as arteríolas também sofrem para que o sangue fique retido nas artérias. Dessa maneira, junto ao aumento da pressão sistólica há também aumento da pressão diastólica.

No SNC, a angiotensina II tem dois importantes papéis: o primeiro é na estimulação simpática total, a mesma que ocorre durante uma situação de estresse ou fuga. O segundo consiste na estimulação do centro da sede no hipotálamo, fazendo com que o indivíduo busque a ingestão de líquidos.

Fonte: medsimples.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares