Candida spp


A incidência de infecções fúngicas da corrente sangüínea causadas por espécies de Candida tem aumentado principalmente em pacientes internados em unidades de terapia intensiva. Estas infecções estão associadas a considerável mortalidade atribuída, de 30% a 40%. Foi feita uma meta-análise com dados prospectivos, comparando o fluconazol e a anfotericina B no tratamento de 826 episódios de candidemia em adultos.

Chegando a conclusão que pela menor toxicidade e do custo menor do que os preparados lipossomiais, a melhor terapêutica na terapia empírica das infecções fúngicas da corrente sangüínea são os agentes azólicos sendo administrados com cautela, em virtude da crescente resistência de Candida não-albicans aos agentes azólicos. A insuficiência renal aguda e uso de medicamentos imunossupressores estão frequentemente associados à candidúria.

Predominam como condições subjacentes as doenças crônico-degenerativas, salientando-se a importante associação de diabetes mellitus, senilidade, prematuridade, neoplasias e alterações do trato urinário como condições freqüentemente associadas à candidúria. No Brasil, 145 episódios de fungemia por C. albicans e espécies não-albicans foram detectadas em período de 22 meses em seis hospitais de assistência médica de nível terciário.

Quanto à infecção urinária por Candida, sua existência vem sendo revelada por relatos de casos isolados e por estudos recentes que focalizaram condições predisponentes específicas. Candidíases da Orofaringe é a infecção oportunista mais comum observada em pacientes com HIV, acontecendo em 80 a 95% destes pacientes, quando a contagem dos linfócitos T-CD4 estão abaixo de 200 cel/mm3. Assim, no Brasil, o sorotipo A de C. albicans se apresenta em freqüência alta, particularmente em pacientes com AIDS e HIV-infectados.

Em contraste, em alguns estudos executados na Europa e  EUA, autores sugeriram que o sorotipo B de C. albicans parece ser mais prevalente. Em todas as condições subjacentes mencionadas, a infecção por Candida spp. é favorecida por um sistema imunológico menos atuante ou por mudanças no trato urinário, incluindo anomalias anatômicas, redução do fluxo e alterações na composição da urina. Sendo geralmente assintomática, a infecção urinária por Candida deve ser cogitada quando a microscopia do sedimento da urina mostrar leveduras.

Fonte: Scientia Médica


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares