Farmacodinâmica do Paracetamol


O paracetamol é um fármaco analgésico e antipirético que apresenta pouca ou nenhuma ação anti-inflamatória. Seu mecanismo de ação não está completamente elucidado, mas parece produzir analgesia por elevação do limiar da dor, sendo capaz de bloquear a ciclo-oxigenase (COX) em locais com baixos teores de peroxidases, como o hipotálamo. Isso possivelmente explica a fraca atividade anti-inflamatória do paracetamol, uma vez que a região da inflamação geralmente contém concentrações elevadas de peróxidos gerados pelos leucócitos.

Estes resultados não excluem o paracetamol como um membro da classe dos AINEs e explicam a sua fraca inibição pela COX, particularmente a ciclo-oxigenase-2 (COX-2), uma isoenzima que produz menor efeito colateral, com percentual de 30% de inibição máxima por AINEs, pois sua atividade inibitória sobre a ciclo-oxigenase pode estar relacionada à sua capacidade de inibir o radical tirosil presente nas prostaglandinas (PGEs).

O paracetamol demonstrou inibir a ação de pirógeno endógeno no centro termorregulador por bloqueio da produção e liberação de prostaglandina no sistema nervoso central. A febre ocorre quando as prostaglandinas se elevam e atuam na área pré-óptica do hipotálamo anterior, resultando em diminuição da perda de calor e aumento do ganho de calor.

Fonte: ufpa.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares