Farmacologia - Definições Básicas


Fármaco: substância química capaz de provocar algum efeito terapêutico no organismo.

Medicamento: produto tecnicamente elaborado contendo um ou mais fármacos. Os outros componentes do medicamento recebem a denominação de excipientes, os quais podem ter as mais variadas funções, como melhorar o sabor, odor e até mesmo atuarem como conservantes; lembrando que, do ponto de vista terapêutico, o excipiente é inerte. Os medicamentos podem ser classificados em: magistrais, oficiais e oficinais; por sua vez, os medicamentos oficiais podem se classificar em: referência, similar e genérico.

Remédio: qualquer tratamento faça bem à saúde do paciente. O conceito de remédio é bem mais amplo, envolvendo até mesmo o medicamento.





Dose: quantidade de fármaco capaz de provocar alterações no organismo. Esta dose pode ser eficaz (DE), letal (DL), ataque ou de manutenção. A DE é dose capaz de produzir o efeito terapêutico desejado, podendo ser classificada em mínima eficaz e máxima tolerada. A DL, por sua vez, é a dose capaz de causar mortalidade. Em ambos os casos (DE e DL) a eficácia pode ser determinada em porcentagem, portanto, DE50 é a dose eficaz em 50% dos tecidos ou pacientes.

Índice terapêutico: relação entre a DL50 e a DE50, sendo um indicativo da segurança do fármaco.

Janela terapêutica: faixa entre a dose mínima eficaz e máxima eficaz.





Posologia: estudo da dosagem, de como a dose deve ser empregada.

Forma farmacêutica: forma de apresentação do medicamento: comprimidos, cápsulas, xaropes.

Pró-fármaco: fármaco que necessita ser ativado no organismo para ação terapêutica.

Interação medicamentosa: efeito resultante da interação entre dois fármacos, podendo ocorrer, como resultado final, o aumento, redução ou atenuação do efeito farmacológico de ou mais fármacos envolvidos.

Efeito indesejado: efeito provocado pela ação do fármaco no organismo diferente do planejado, sendo classificado como previsível ou imprevisível. Os efeitos previsíveis podem se dividir em: toxicidade por superdosagem, efeito secundário (reação provocada pelo efeito principal do fármaco em um sítio diferente do alvo principal), efeito colateral e interações medicamentosas. Por sua vez, o efeito imprevisível pode ser dividido em: idiossincrático, alérgico e intolerância.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares