Maior risco de diabetes com estatinas em mulheres idosas


A terapia com estatinas aumenta o risco do diabetes em mulheres idosas em 33% e, quanto maior a dose, maior o risco. É o que mostra uma nova análise do estudo observacional longitudinal australiano sobre a saúde da mulher.

Em média, as mulheres tomam estatinas durante 6,5 anos. A nova análise, publicada em Drugs and Aging, incluiu 8.372 mulheres australianas com idade entre 76 e 82 anos na linha de base, as quais foram seguidas por 10 anos.





Estudos anteriores também mostraram associação entre o uso de estatinas e aparecimento do diabetes. O resultado primário da análise foi baseado em uma nova prescrição de insulina, análogos de insulina ou outros agentes hipoglicemiantes. A exposição às estatinas foi determinada com base nas prescrições entre 1º de julho de 2002 e 31 de agosto de 2013.

Descobriu-se que 49% das mulheres em seus quase 80 anos e nos anos logo seguintes tomavam estatinas, sendo que 5% foram diagnosticadas com o diabetes. O risco de diabetes girou em torno de 17% com doses mais baixas e de 51% com doses mais elevadas.

O que mais preocupa é o achado de um "efeito de dose", onde o risco de diabetes aumentou à medida que a dosagem de estatinas aumentou, e ao longo dos 10 anos do estudo, a maioria das mulheres progrediu para doses mais elevadas de estatinas.

Fonte: saudecuriosa


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares