Síndrome Serotoninérgica


Em geral, a síndrome serotoninérgica, ou síndrome da serotonina, acontece em pessoas que tem algum problema relacionado à baixa produção de serotonina, como depressão, transtornos de ansiedade ou transtornos alimentares. Essas pessoas estão com algum tipo de transtorno em função de baixos níveis do neurotransmissor, de modo a necessitarem de tratamento.

Várias substâncias podem aumentar a serotonina (como o aminoácido triptofano), aumentar a liberação da serotonina (drogas como anfetaminas ou a cocaína), estimular diretamente esse receptor (drogas como o LSD), aumentar a sensibilidade desses receptores (medicamentos como o lítio), inibir a destruição da serotonina dentro da célula (alguns antidepressivos) ou inibir o reaproveitamento, a recaptação da serotonina.





Os antidepressivos são conhecidos exatamente pela inibição da recaptação de serotonina, dentre os quais, por exemplo, citamos os inibidores seletivos (ISRS), como a fluoxetina, sertralina, paroxetina, entre outros. Há ainda tricíclicos como amitriptilina ou nortriptilina e também anorexígenos como a sibutramina, que também atuam inibindo a recaptação da serotonina.

A crise em geral acontece quando mais de uma dessas substâncias é administrada ou ingerida ao mesmo tempo, gerando ocorrência de interação medicamentosa. Há diversos sintomas relacionados, dentre os quais alguns são: confusão, agitação, alterações na pressão arterial, aumento da frequência cardíaca, febre e alucinações.

Fonte: minhavida.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares