Efeitos dos glicocorticoides no sistema imunológico celular


Os glicocorticoides (GC) produzem linfopenia devido à redistribuição aos órgãos linfáticos, alterações nas moléculas de adesão e eventualmente apoptose celular. A amplificação linfocitária encontra-se afetada pela diminuição de IL2. São afetados predominantemente os linfócitos T e, dentro destes, principalmente os TCD4, ocorrendo inibição das respostas Th1 e Th2.

Para alterar os linfócitos B (e assim a síntese de anticorpos), é necessário nível plasmático muito alto de GC, como ocorre na pulsoterapia. Evidencia-se também neutrofilia, que se deve à diminuição da marginação endotelial, aumento da saída de neutrófilos da medula para a corrente sanguínea e diminuição de sua migração dos vasos para os tecidos. Esta limitação na saída dos neutrófilos dos vasos deve-se, em parte ao aumento de anexina e diminuição da permeabilidade capilar.

Contudo, não existe aumento no número total de neutrófilos e sua função não é afetada. Com uma dose moderada de GC, espera-se contagem plasmática de polimorfonucleares de 15.000-20.000 cels/mm3. Eosinófilos e macrófagos diminuem em número e ação. A diminuição dos eosinófilos deve-se à sua saída da medula para a corrente sangüínea e apoptose celular.

Os macrófagos diminuem seu recrutamento para lugares de inflamação, fagocitose e processamento de antígenos. A ação dos GC sobre linfócitos e macrófagos é maior do que sobre os polimorfonucleares.

Fonte: saudedireta.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares