Encefalopatia induzida por Cefepima


A encefalopatia por cefepima tem sido descrita de forma crescente na literatura médica, com relatos de casos em todo o mundo. Podem encontrar-se casos que se caracterizam por quadro clínico de alteração do sensório, geralmente associada a extrema agitação, associado a padrão de eletroencefalografia (EEG) peculiar, constituído por descargas generalizadas de ondas agudas periódicas a 2Hz.

Em estudo, os pacientes avaliados experimentaram reversão do quadro clínico após a suspensão de cefepima. Todos os pacientes estudados eram adultos (idades entre 55 e 84 anos). Os quadros clínicos que motivaram a internação de cada paciente foram variados, sendo que 2 deles estavam em tratamento para linfoma.





Os quadros infecciosos que originaram o tratamento com cefepima foram: infecção do trato urinário (3 casos), neutropenia febril (2 casos) e septicemia (2 casos). As doses de cefepima utilizadas variaram entre 4 e 8 g/dia. Num dos pacientes a dose foi ajustada à função renal. A droga foi suspensa em todos os casos tão logo confirmada a suspeita diagnóstica de encefalopatia por cefepima.

A instalação da encefalopatia induzida por cefepima se deu entre o 2º e o 9º dias de uso do antibiótico e o quadro neurológico em geral caracterizou-se por declínio do sensório, agitação e crises epilépticas (na maioria das vezes, abalos mioclônicos multissegmentares).

Todos os pacientes, exceto um, apresentavam insuficiência renal durante a instalação da encefalopatia. Os EEGs realizados na vigência do quadro demonstraram alterações periódicas generalizadas. Todos os pacientes apresentaram reversão do quadro clínico após a suspensão de cefepima.

Fonte: scielo.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares