Glicocorticoides: Efeitos adversos dermatológicos


Os glicocorticoides em excesso inibem os fibroblastos, levam à perda de colágeno e tecido conjuntivo com diminuição da reepitelização e da angiogênese, resultando, assim, no adelgaçamento da pele, atrofia e telangiectasias, ocasionando fácil formação de equimoses, estrias e má cicatrização das feridas.

As estrias são tipicamente de cor vermelha a púrpura, deprimidas e mais largas (0,5 a 2 cm) que as estrias branco-rosadas que ocorrem na gravidez ou no ganho de peso rápido. Devido à hipersecreção dos androgênios suprarrenais pode ocorrer hirsutismo. A localização facial é mais comum, mas também pode haver aumento do crescimento de pelos sobre o abdome, mamas, tórax e parte superior das coxas. É possível o aparecimento de eflúvio telógeno.

Púrpuras ocorrem pelos efeitos catabólicos no músculo liso dos vasos. Infecções cutâneas, principalmente por Stafilococos e herpes vírus e infecções fúngicas mucocutâneas também são freqüentes. Acantose nigricans pode ser encontrada secundária à resistência insulínica. Acne se apresenta como lesão pustular resultando de hiperandrogenismo ou como lesões papulares decorrentes do excesso de GC. Urticária e erupção maculopapular também são reações possíveis.

Fonte: saudedireta.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares