Linfócitos T


O processamento de precursores de célula T no Timo começa na vida fetal e aparentemente ocorre durante toda a infância. O Timo, de 70 gramas no final da fase de lactente, pesa no idoso apenas cerca de 3 gramas. A diminuição do suporte hormonal desse órgão no idoso pode explicar a diminuição da resposta imune nos indivíduos nessa faixa etária.  

Os linfócitos T liberados pelo Timo são programados para realizar diferentes funções via duas subpopulações principais, ambas em conjunção com os antígenos de histocompatibilidade:

a) Linfócitos T que, após exposição a um antígeno estranho numa célula (ex: antígeno viral na superfície de células próprias infectadas), se tornam células citotóxicas que podem lisar as células alvo, Constituem o subgrupo T8. Nesse subgrupo também se encontram as células T supressoras que agem bloqueado a respostas imune quando o estímulo antigênico cessa.





b) Células T que, após exposição a antígenos, agem como células T imunorreguladoras, com funções auxiliadoras. Constituem o subgrupo T4 (na sua maior parte) e atuam: promovendo o desenvolvimento de células T citotóxicas; estimulam macrófagos promovendo suas propriedades microbicidas; estimulam a secreção de anticorpos por células B (função "helper").

As células T constituem aproximadamente 70% dos linfócitos circulantes. As células B de 10 a 15% dos linfócitos restantes. A movimentação, nos dois sentidos, entre tecidos e sangue é feita pelos dois tipos de linfócitos, em menor extensão pelos linfócitos B. Os linfócitos T possuem vida média bem mais longa que a dos linfócitos B. 

Fonte: ciencianews.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares