Losartana e Valsaltarna - ARAs


Losartana e Valsartana são anti-hipertensivos inseridos no grupo dos ARAs: antagonistas de receptores de angiotensina II. Há ainda outros representantes neste grupo, mas abaixo seguem algumas informações pertinentes aos dois que foram separados para formarem este texto:

A losartana apresenta atividade muito maior sobre receptores AT1 em relação aos receptores AT2. Este fármaco apresenta alta ligação às proteínas plasmáticas, fato que deve ser levado em consideração no que diz respeito às interações medicamentosas, uma vez que há possibilidade de deslocamento da fração ativa para seu sítio de ação.





A dose inicial recomendada é a de 50mg diários, podendo ser aumentada ou associada a um diurético, como a hidroclorotiazida. Os efeitos adversos mais comuns são cefaleia, tontura e fadiga, com menor ocorrência de tosse quando comparado a um IECA.

 A valsartana produz antagonismo seletivo da angiotensina II, atuando sobre os receptores AT1. A presença de alimentos interfere na biodisponibilidade do fármaco, reduzindo a área sob a curva e a Cmáx. Não interfere em sistemas oxidativos dependentes do citocromo P450, fato que reduz a possibilidade de causar problemas com interação no metabolismo hepático.

O efeito anti-hipertensivo é obtido com 80 ou 160mg diários deste fármaco, cujos efeitos adversos são raros. Não é recomendada sua administração durante a gravidez.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares