Omeprazol e risco aumentado de fraturas ósseas


Para determinar a associação entre uso de inibidores de bomba de prótons e risco de fraturas de ossos da bacia, foi realizado um estudo na Universidade da Pensivânia. Publicado no JAMA (Journal of the American Medical Association), o estudo mostrou que este medicamento interfere na absorção de cálcio, por induzir à hipocloridria e também reduzir a reabsorção óssea, aumentando o risco de fraturas em ossos da bacia. 

Cientistas norte-americanos examinaram prontuários médicos de 145 mil pessoas com mais de 50 anos e confirmaram resultados de estudos anteriores sobre efeitos danosos do uso prolongado e em doses altas de inibidores da bomba de prótons. O estudo mostrou que este medicamento pode inibir a absorção de cálcio pelo organismo e, conseqüentemente, causar enfraquecimento progressivo dos ossos.





Os pesquisadores descobriram que, estatisticamente, a chance de uma dessas pessoas ter uma fratura de bacia era 44% maior se fez uso de um inibidor de bomba de prótons por mais de um ano. Quanto mais longo o tempo de consumo do medicamento, maior a probabilidade de fraturas. Milhões de pessoas fazem uso deste tipo de medicamento para controle da acidez no estômago. Entre os mais usados está o omeprazol.

Apesar da abrangência da pesquisa e da coincidência dos seus resultados com os de outros estudos anteriores, ainda é recomendado cautela sobre o assunto. O cientista Ken McColl, professor de gastroenterologia da Universidade de Glasgow, na Escócia, diz que o trabalho da equipe da Universidade da Pensilvânia não prova uma relação de causa e efeito entre o uso dos antiácidos e o enfraquecimento dos ossos e acredita na possibilidade de distorções na conclusão da pesquisa.

Fonte: JAMA




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares