Quais os AINEs mais seguros em relação aos riscos cardiovasculares?


Ensaios clínicos randomizados têm destacado os riscos cardiovasculares do uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) em doses elevadas. O presente estudo, publicado pela revista PLoS Medicine, fornece estimativas de risco dos AINEs em doses individuais típicas em ambientes comunitários.

Os principais eventos cardiovasculares associados ao uso individual de AINEs, em diferentes doses e em populações de baixo e de alto risco para desenvolver eventos cardiovasculares, foram avaliados. Trinta estudos caso-controle incluindo 184.946 eventos cardiovasculares e 21 estudos de coorte descreveram os resultados observados em mais de 2,7 milhões de indivíduos expostos.

Dos medicamentos amplamente estudados, os maiores riscos observados foram com o diclofenaco. Os menores riscos foram encontrados com o uso de ibuprofeno (que não chega a ser baixo) e naproxeno. Dos medicamentos menos estudados, o etoricoxibe, o etodolaco e a indometacina tiveram os maiores riscos. Nas comparações por pares de medicamentos, o etoricoxibe teve risco relativo maior do que o do ibuprofeno. O naproxeno apresentou risco significativamente menor em relação ao ibuprofeno.





Esta revisão sugere que, entre os AINEs amplamente utilizados, o naproxeno e o ibuprofeno em baixas doses são menos prováveis de aumentar o risco cardiovascular. O diclofenaco nas doses disponíveis para compra sem prescrição médica eleva o risco. Os dados para o etoricoxibe foram escassos, mas em pares de comparações esse fármaco tinha um risco relativo significativamente maior do que o do naproxeno ou do ibuprofeno.

A indometacina é um fármaco mais antigo, mais tóxico e as evidências sobre o risco cardiovascular lançam dúvidas sobre seu uso clínico continuado.

Fonte: PLoS Medicine




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares