Utilidadades da Ceftriaxona


A ceftriaxona constitui o fármaco de primeira escolha, juntamente com a cefotaxima, para o tratamento empírico de meningites, infecções graves por Haemophilus influenzae, gonorréia ou por germes Gram-positivos como o Streptococos pneumoniae.

A ceftriaxona, juntamente com a cefotaxima, possuem atividades semelhantes quando analisadas “in vitro”, porém esse antibiótico possui uso específico em infecções extra Sistema Nervoso Central. Nesse caso, essas infecções devem ser comprovadas por cultura que identifica germes Gram-negativos e testes de sensibilidade que demonstram resistência a cefazolina, ampicilina, cotrimazol, mas sensibilidade a ceftriaxona.





Além disso, mostra-se eficaz em osteomielite juntamente com aminoglicosídeos. Segundo preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS), a ceftriaxona é indicada para os tratamentos de: sepse, meningite, borreliose de Lyme, infecções intra-abdominais (peritonites, infecções gastrointestinais e biliares), infecções osteoarticulares de tecidos moles, pele e ferida, infecções em pacientes imunocomprometidos, infecções genitais (inclusive gonorreia), infecções renais e do trato urinário, infecções do trato respiratório (particularmente pneumonia), infecções otorrinolaringológicas e profilaxia de infecções pós-operatórias.

Contudo, as cefalosporinas de 3ª e 4ª geração devem ser empregadas somente para o tratamento das infecções nas quais elas são indicadas, a fim de se evitarem mecanismos de resistência. O mecanismo de resistência mais prevalente às cefalosporinas consiste na destruição dos fármacos por hidrólise do anel beta-lactâmico.

Fonte: unieuro.edu.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares