AMPK - Proteína Quinase Ativada por AMP


A AMPK é uma enzima que induz uma cascata de eventos intracelulares em resposta a mudança da carga energética celular. O papel da AMPK no metabolismo celular é a manutenção da homeostasia energética.

Todas as células vivas devem continuadamente manter alta relação entre ATP e ADP para sobreviver. Isso é obtido por intermédio do catabolismo que aumenta a energia celular convertendo ADP e fosfato em ATP, enquanto o anabolismo diminui o componente energético celular, por converter ATP em ADP e fosfato.

Convém ressaltar o fato de que a relação ATP–ADP nas células geralmente permanece quase constante, indicando que o mecanismo que regula esse processo é muito eficiente. A AMPK é um componente-chave desse equilíbrio fisiológico.





Essa enzima foi descrita pela primeira vez em 1973, como uma proteína induzida por AMP que inativa as enzimas HMG-CoA redutase e a acetil CoA carboxilase. Demorou-se mais de 14 anos para correlacionar a atividade dessa enzima com o balanço energético dentro da célula. 

O sistema da AMPK é ativado por qualquer estresse que cause aumento na relação intra-celular AMP–ATP, tanto aqueles que interferem com a produção de ATP quanto também aqueles que aumentam o consumo de ATP.

Esses estímulos ativadores são os mais diversos e podem ser fisiológicos, como exercício físico e contração muscular ou patológicos como privação de glicose, hipóxia, estresse oxidativo, choque osmótico, choque térmico, envenenamento metabólico, isquemia, diminuição do pH, inibição da glicólise e desacopladores da fosforilação oxidativa.

Fonte: Scielo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares