Cientistas surpreendem e dizem que níveis altos de HDL aumentam taxa de mortalidade


Em um contraste impressionante com tudo o que médicos, autoridades de saúde e os meios de comunicação vêm divulgando há décadas, pesquisadores da Universidade de Copenhague (Dinamarca) anunciaram agora que as pessoas com níveis extremamente elevados de HDL - o "bom" colesterol - têm uma taxa de mortalidade muito superior à das pessoas com níveis normais de HDL.

Até agora, a ciência e a medicina afirmavam que, quanto mais colesterol HDL uma pessoa tivesse em seu sangue, melhor. Mas o colesterol HDL pode não ser tão bom quanto cientistas e médicos acreditavam.

Os pesquisadores afirmam que seus resultados devem levar a uma mudança radical na forma como o "bom" colesterol é encarado, porque contradizem seriamente o pressuposto de que ter um nível elevado de HDL no sangue é algo estritamente positivo.





Os pesquisadores dinamarqueses constataram que as pessoas com níveis extremamente elevados de HDL apresentam maior taxa de mortalidade do que as pessoas com níveis normais.

Para homens com níveis extremamente elevados de HDL, a taxa de mortalidade foi 106% maior do que para o grupo normal; para aqueles com níveis elevados (não extremamente) a taxa de mortalidade foi 36% maior.

Para as mulheres com níveis extremamente elevados, a taxa de mortalidade foi 68% maior, não havendo diferenças significativas para níveis não extremos. Na média, a taxa de mortalidade para níveis muito altos de colesterol foi 65% maior.

Para os homens, um nível extremamente elevado de HDL foi definido como superior a 3,0 mmol/L (116 mg/dL) e o nível muito alto foi definido na faixa de 2,5 a 2,99 mmol/L (97-115 mg/dL).

Para as mulheres, o nível extremamente alto foi definido como superior a 3,5 mmol/L (135 mg/dL).

Fonte: Diário da Saúde




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares