Interações Medicamentosas com Glicocorticoides


Os fármacos que atuam sobre os níveis séricos de glicocorticoides (GC) aumentando sua toxicidade, normalmente o fazem através da inibição da CYP 3A4. Este é o caso dos macrolídeos eritromicina e claritromicina e dos antifúngicos azólicos como cetoconazol e itraconazol, ainda mais potentes inibidores da CYP 3A4.

Cabe salientar que a administração de estrógenos é capaz de aumentar a meia-vida e diminuir o clearance da prednisolona. Outros fármacos, por sua vez, são capazes de diminuir o nível sérico ou atividade de vários GC sistêmicos. Isto ocorre com os indutores de CYP 3A4, como os barbitúricos e a rifampicina. Antiácidos diminuem a absorção dos GC.

A ciclosporina pode sofrer aumento de seu nível sérico e inclusive de sua toxicidade quando usada em combinação com os GC, o que é feito freqüentemente no tratamento de doenças autoimunes. A prednisolona inibe o metabolismo da ciclosporina, aumentando a concentração sérica deste fármaco.
A hipocalemia induzida pelos GC pode aumentar a concentração sérica dos digitálicos, acentuando seus efeitos colaterais bem conhecidos.





A depleção do potássio também é um efeito dos diuréticos e seu agravamento deve ser lembrado no paciente em uso de GC. Os níveis séricos da isoniazida podem ser reduzidos pelos GC, diminuindo a ação deste tuberculostático. Já os salicilados têm sua eficácia diminuída por aumento do clearance. Um efeito importante a ser lembrado é a indução de resistência insulínica pelos GC, resultando em aumento da glicemia.

Outras interações possíveis são entre os GC e varfarina, quando pode haver aumento ou diminuição da atividade anticoagulante (não é previsível). No uso concomitante de GC e broncodilatadores do grupo das xantinas, como teofilina, pode ocorrer alteração na ação de ambos os fármacos.

Fonte: saudedireta.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares