Nova classe de antimicrobianos mostra capacidade de eliminar superbactérias


Devido ao avanço das bactérias resistentes aos antibióticos hoje disponíveis, há uma corrida de cientistas em busca de novos meios para combatê-las. Uma das principais apostas dos pesquisadores são medicamentos à base de inibidores da enzima LpxC, importante na formação da membrana externa de várias bactérias.

Um grupo de pesquisadores publicou, no periódico científico "mBio", um relato de experiências em laboratório que sugerem alta eficácia de um novo inibidor de LpxC: ele se mostra capaz de tratar infecções bacterianas graves, como a que causa a peste bubônica, doença diagnosticada em mais de mil pessoas ao ano e fatal se não tratada.





O composto foi batizado de LPC-069 (ainda um protótipo) e não foi considerado tóxico. "Nosso estudo mostra que a enzima LpxC é um alvo viável e podemos administrar o composto em níveis muito altos sem toxicidade visível", destacou um dos líderes do estudo, o bioquímico e biólogo estrutural da Universidade Duke, nos Estados Unidos, Pei Zhou.

A droga não apresentou efeitos colaterais sérios em nenhuma das doses testadas, incluindo a dose mais alta, informaram os pesquisadores.

Estudos in vivo (quando se observa o que ocorre dentro de um organismo vivo) do composto mostraram eficácia contra mais de uma dúzia de doenças bacterianas, incluindo linhagens clínicas resistentes a múltiplos fármacos atualmente empregados.

Fonte: Bayer




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares