Ações Farmacológicas de Agonistas Opioides no SNC


• Analgesia: eficazes para alívio de dores contínuas e sem localização específica proveniente de órgãos internos, como intestinos. Menos eficaz para dores superficiais do tipo pontada. As dores neuropáticas podem ser resistentes, porém os pacientes referem discreta redução na intensidade e melhora em relação ao desconforto gerado pela dor.

• Sedação: dificuldade de concentração e sonolência são efeitos comuns. O alívio da dor pode ocasionar o sono, mas opioides não atuam como hipnóticos.

• Euforia e disforia: morfina e os demais opioides geram sensação de bem-estar (euforia). Caso não haja dor, a morfina pode causar agitação e inquietação (disforia).

• Alucinações: principalmente após o uso de opioides como a morfina, alucinações podem ser desencadeadas.

• Tolerância e dependência: tolerância é a redução do efeito gerado pela mesma dose do fármaco, quando repetidas doses são administradas. O mecanismo ainda não foi totalmente esclarecido, porém é provável que o processo de downregulation de receptores opioides ou que a redução da produção de opioides endógenos estejam envolvidos. A dependência ocorre quando, após o uso prolongado de opioides, o fármaco é suspenso abruptamente, desencadeando diversos sinais físicos e psicológicos, como a agitação, irritabilidade, salivação excessiva, lacrimejamento, sudorese, cãibras, vômitos e diarréia.

Fonte: Sociedade Brasileira de Anestesiologia




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares