Efeitos Centrais da Dipirona


A potente propriedade antipirética decorre da capacidade de inibição da COX-3 na síntese de prostaglandina E no sistema nervoso central (SNC), notadamente no hipotálamo. Notadamente pelos seus dois metabólitos: 4-metil-amino-antipirina (4-MAA) e 4-aminoantipirina (4-AA).

A Ação analgésica também é exercida pelos dois metabólitos ativos 4-MAA e 4-AA que são capazes de inibir as COX 1,2 e 3 e atuar em vários níveis sinergicamente com o sistema petidérgico (endorfina e encefalinas) e serotonina.

Estudos atribuem à dipirona ação sobre áreas talâmicas, sobre o núcleo magno da rafe (NMR), bulbo, sobre a substância periaquedutal cinzenta e de maneira relevante no corno dorsal espinhal. É reportada a importância da ativação de circuitos opioidérgicos, pois esta ativação é reversível pela naloxona. Também é relevante a atuação antiálgica no sistema descendente inibitório bulboespinhal noradrenérgico e serotoninérgico.

Fonte: associacaoamigosdagrandeidade.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares