Estrutura da bomba H+K+ATPase (bomba protônica)


A secreção ácida nas células parietais do estômago cria um gradiente de íons, nos quais prótons são bombeados de fluidos intracelulares para o lúmen gástrico contra um gradiente. A engenharia enzimática responsável por este transporte ativo é a bomba H+K+ATPase, alvo de fármacos como omeprazol e pantoprazol.

A bomba H+K+ATPase está localizada, na sua forma inativa, na membrana dos túbulos citoplasmáticos e, quando ativada, na membrana dos canalículos da célula parietal do estômago. É composta de duas subunidades polipeptídicas não idênticas, a catalítica ou "a" e a estrutural ou "b".

A subunidade catalítica atua mediando toda a função de transporte da bomba; hidrolisa ATP e interage com cátions transportados, além de ser um sítio de ação de inibidores reversíveis e irreversíveis da bomba. O papel da subunidade estrutural ainda permanece indefinido.

Estudos demonstraram que ambas as subunidades estão ligadas fortemente e têm papel importante na conformação estrutural e funcional da bomba. A atividade fisiológica está sujeita à modulação (estimulação e inibição) por sinais moleculares neuronais e endócrinos, como acetilcolina, gastrina, histamina e somatostatina.

Fonte: Moreira Jr




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares