Medicamentos Biológicos


Os medicamentos biológicos são produzidos a partir de células vivas, com recurso a métodos de biotecnologia. É um processo complexo, em que estas células devem permanecer sob condições específicas durante semanas ou meses. Este processo produtivo difere substancialmente do utilizado na produção química dos fármacos convencionais. 

“Os medicamentos biológicos têm uma estrutura que os impede de serem ingeridos oralmente, porque seriam destruídos pelo sistema digestivo, necessitando, por isso, de administração endovenosa ou subcutânea”, explica o Prof. João Eurico Fonseca, reumatologista do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e diretor da Unidade de Investigação em Reumatologia do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

De acordo com o especialista, estes fármacos estão desenhados para inativar alguns mecanismos específicos que ocorrem em certas doenças, sendo “muito mais precisos e seletivos do que os medicamentos convencionais”.

João Eurico Fonseca adianta que são “muito eficazes” na artrite reumatoide, espondilite anquilosante, artrite psoriática, artrite idiopática juvenil e lúpus eritematoso sistémico. Adicionalmente, “são usados em muitas outras doenças imunomediadas”.

Na área da Gastrenterologia, os medicamentos biológicos são utilizados no tratamento das doenças inflamatórias intestinais (DII), como a colite ulcerosa e a doença de Crohn. Na opinião do Dr. Leopoldo Matos, diretor do Serviço de Gastrenterologia do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, em Lisboa, são a “arma que faltava”.

Fonte: newsfarma.pt




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares