Paroxetina na depressão e na ansiedade


A paroxetina é um potente antidepressivo de segunda geração, do tipo ISRS, lançado em 1993. Revelou-se na época das suas pesquisas como o mais potente nos estudos in vitro. Potente na inibição de recaptação da serotonina, mas também eficiente sobre a noradrenalina em doses altas.

Apresenta algumas vantagens farmacocinéticas com o grau de lipofilia (95%) e forte ligação às proteínas plasmáticas. Outra vantagem é que a administração de antiácidos ou de alimentos não interfere na sua absorção. A sua demora na absorção demonstra que o seu pico plasmático é atingido em 3 a 8 horas e apresenta mais uma vantagem: o seu equilíbrio plasmático é atingido entre 5 e 14 dias, tempo bastante inferior ao de outros antidepressivos cuja ação terapêutica leva mais tempo para se manifestar.

A vantagem prática é que um antidepressivo eficiente, de rápida concentração e de rápido equilíbrio plasmático o torna eficaz em menos tempo. Ou seja, o seu efeito terapêutico é exercido em prazos menores.

A sua recaptação seletiva pelos neurônios lhe permite ser eficiente também no TOC e no transtorno do pânico. Além de efeito no transtorno de ansiedade (TA), um fator de primordial importância no controle da depressão, pois a ansiedade talvez seja o principal sintoma desta patologia.

Fonte: moreirajr




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares