Efeitos do álcool associado a medicamentos


É comum que pacientes questionem se podem ou não consumir bebidas alcoólicas durante um determinado tratamento farmacológico. Em alguns casos, o álcool não interfere na ação dos medicamentos. Contudo, em outros, a interação ocorre e poderá reduzir ou potencializar a ação de determinados fármacos.

A fim de que o paciente receba orientação adequada, seguem algumas possibilidades de interação entre medicamentos e álcool. Obviamente, não estão listadas todas as interações possíveis; o intuito não é esgotar o assunto, mas prestar auxílio a profissionais de saúde que sejam questionados a este respeito.





- AINEs: irritação e desconforto estomacal.
- Ansiolíticos: sedação potencializada, falta de coordenação e prejuízo da memória, com risco de acidentes.
- Anticonvulsivantes: a interação intensifica a sedação.
- Antidepressivos: além de produzir sedação, há redução da eficácia antidepressiva.
- Antifúngicos: apneia, cefaleia, angina, rubor da pele, arritmia cardíaca, tontura, náusea e vômito.
- Antibacterianos: aumento da micção, acelerando a excreção renal do medicamento e consequente redução de sua eficácia contra infecções.
- Antidiabéticos: hipoglicemia.
- Anti-hipertensivos: vertigens e alterações na pressão arterial.

Fonte: Bayer Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares