Endometriose


A endometriose é definida como a presença de tecido endometrial fora do útero. O tecido endometriótico implanta-se durante a menstruação, principalmente em locais como o peritôneo e os ovários, e desenvolve um suprimento vascular eficiente, o qual permite seu posterior crescimento no local de implantação.

O desenvolvimento de tecido endometriótico fora do útero parece estar associado a profundas alterações do sistema imunológico em mulheres com endometriose. A menstruação retrógrada, fenômeno comum em mulheres em idade reprodutiva, poderia facilitar o implante de células endometrióticas na cavidade peritoneal, embora nem todas as mulheres com menstruação retrógrada apresentem endometriose.

A endometriose pode ser considerada como um processo inflamatório pélvico, com função alterada de células do sistema imunológico e número aumentado de macrófagos ativados no fluido peritoneal, os quais secretam vários fatores locais, tais como fatores de crescimento e citocinas. Assim, o desenvolvimento da endometriose parece ser um fenômeno complexo, facilitado por fatores múltiplos, incluindo quantidade e qualidade de células endometriais no fluido peritoneal, atividade inflamatória aumentada no fluido peritoneal, expressão aumentada de moléculas de adesão, angiogênese aumentada e eliminação reduzida das células endometrióticas por um sistema imunológico deficiente.

Esta doença complexa é um problema ginecológico comum e, freqüentemente, associado à infertilidade e dor pélvica. A deficiência reprodutiva associada à endometriose e à infertilidade idiopática estão ainda entre os problemas mais difíceis que o ginecologista enfrenta. Um número significativo de mulheres que se queixam de dismenorreia e dor pélvica têm endometriose e mais da metade das mulheres com infertilidade não explicada são diagnosticadas com endometriose por laparoscopia.

Fonte: Scielo



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares