Glicoproteína-P


A glicoproteína-p (gp-P) foi descrita pela primeira vez em 1976 como uma glicoproteína de superfície presente na membrana citoplasmática. Esta é uma bomba de efluxo que pertence à família de transportadores ABC e que participa do fenômeno de resistência a múltiplos fármacos. Encontra-se amplamente distribuída nos tecidos e participa em variadas funções fisiológicas importantes.

É expressa nos pontos de entrada dos xenobióticos (trato gastrointestinal, fígado, rins, cérebro, placenta) e consegue efetuar o transporte destes para o exterior das células. É também expressa em barreiras hemato-teciduais e em células tumorais, impedindo a entrada de substâncias nestes tecidos graças ao seu transporte para fora das células. Desempenha um papel crucial na absorção, distribuição, metabolização e excreção de muitos fármacos no organismo.

Atua na proteção dos tecidos contra xenobióticos tóxicos e metabolitos endógenos, através da excreção destes compostos para o lúmen intestinal, bílis, urina e promovendo também a sua expulsão do sistema nervoso central. As interações farmacológicas ocorrem quando os efeitos de um fármaco são alterados pela presença de outro fármaco, alimento, ou outro agente químico.

A co-adminstração de fármacos que são indutores ou inibidores da gp-P pode originar evetnos decorrentes de interação medicamentosa. Quando os fármacos atuam como inibidores de gp-P originam aumento dos seus substratos a nível intracelular, graças ao decréscimo do transporte de efluxo de fármacos. Para além dos fármacos que têm a capacidade de inibir a gp-P, outras moléculas como os surfactantes usados na indústria farmacêutica também podem inibi-la.

A gp-P é ainda considerada de fácil indução, seja in vivo ou in vitro, com vários tipos de indutores conhecidos. Estes atuam aumentando o transporte de efluxo, diminuindo assim a biodisponibilidade dos fármacos que são transportados por esta proteína. Quanto maior o número de fármacos co-administrados maior é a probabilidade de ocorrer interação medicamentosa.

Fonte: bdigital.ufp.pt




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares