Haloperidol + Prometazina para pacientes agitados


Serviços de saúde não raramente precisam lidar com pessoas agitadas ou violentas e, em emergências psiquiátricas, este comportamento é particularmente prevalente (10%). Em ambiente psiquiátrico, a maioria destes episódios é conseqüência de doenças graves, como esquizofrenia ou abuso de drogas.

Os principais manuais recomendam que os pacientes sejam verbalmente tranqüilizados, que uma história pregressa seja colhida e que um exame físico e testes laboratoriais sejam realizados antes do início do tratamento farmacológico.

Na prática, a urgência desta situação geralmente faz com que a equipe necessite atuar dispondo de um histórico curto e fragmentado, um diagnóstico puramente especulativo e um exame físico apenas superficial. Na maioria das vezes, a necessidade de garantir a segurança de todos os envolvidos torna a tranquilização farmacológica rápida inevitável.





Os medicamentos utilizados nesta situação deveriam assegurar que a pessoa se tranqüilizasse de maneira segura e rápida. No entanto, os manuais geralmente se resumem a consensos de especialistas e diferem quanto à droga recomendada. Inquéritos sobre a preferência e a prática dos clínicos quanto ao tratamento farmacológico revelam alguma variação, embora as classes mais freqüentemente usadas sejam os antipsicóticos de primeira geração e/ou benzodiazepínicos.

A combinação haloperidol e prometazina administrada por via intramuscular é consistentemente usada no Brasil e na Índia. Esta combinação tem um custo muito baixo e ambas as drogas fazem parte da lista de medicamentos essenciais da Organização Mundial de Saúde. Em estudos, as doses utilizadas no grupo de intervenção variaram de 5 a 10mg de haloperidol e de 25-50mg de prometazina.




No Brasil, para os pacientes que receberam a combinação, os clínicos optaram por 5mg para cerca de metade dos pacientes e, para a maioria, a dose de prometazina foi de 50mg. Na Índia, a quase totalidade dos participantes recebeu 10mg de haloperidol e 50mg de prometazina.

Um inquérito preliminar nos serviços de emergência psiquiátrica do Rio de Janeiro indicou a combinação Haloperidol/Prometazina como a medicação favorita. Midazolam, um benzodiazepínico de ação rápida disponível na rede pública, era uma outra opção. Trabalhando em conjunto com os clínicos dessas emergências psiquiátricas, o desenho de um ensaio clínico foi então publicado e posto em prática.

Fonte: psiquiatriabh.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares