Alprazolam no transtorno do pânico


A revisão de estudo realizado pelo Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal São Paulo confirma e reforça achados de vários ensaios clínicos sobre a eficácia e da tolerabilidade do alprazolam no tratamento do transtorno do pânico (TP).

Os pesquisadores afirmaram que o alprazolam é um fármaco efetivo para o tratamento do TP, sendo mais efetivo e mais aceito, medida esta através dos números de abandonos, que o placebo. O alprazolam foi tão efetivo quanto a imipramina, mas tem uma aceitabilidade superior. Em contraste, não foram encontradas diferenças entre o alprazolam e outros benzodiazepínicos estudados, tanto em relação à eficácia quanto à aceitação.





Embora alguns críticos possam ser contrários ao uso do alprazolam como fármaco de primeira linha para o tratamento do TP, recentemente o interesse sobre esta opção tem sido pesquisado. Bruce et al mostraram que ainda é o fármaco mais prescrito para o tratamento do TP por psiquiatras norte-americanos, mesmo após a introdução dos inibidores seltivos da recaptação de serotonina (ISRS). 

Apesar de serem os ISRS os fármacos de primeira linha descritos nos manuais de condutas clínicas, não existem na literatura ensaios clínicos controlados e randomizados comparando estes com o alprazolam ou outro benzodiazepínico de alta potência como o clonazepam, por exemplo.

O alprazolam é o benzodiazepínico de alta potência mais estudado no tratamento do TP. Sua ação rápida, assim como a melhor tolerabilidade, provavelmente o tornam mais aceitável aos pacientes. Estas são características que podem justificar o alto número de prescrições para tratamento da referida condição clínica.

Fonte: Moreira Jr




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares