Carbamazepina - Farmacodinâmica


A carbamazepina (CBZ) é um bloqueador neuronal dos canais de sódio voltagem dependentes que atua estabilizando a hiperexcitação das membranas das células nervosas. Age também inibindo as descargas neuronais repetitivas e reduzindo a propagação dos impulsos excitatórios sinápticos dos neurônios despolarizados via bloqueio dos canais de sódio voltagem dependentes.

Alguns autores sugerem que a CBZ também estimula a liberação do hormônio antidiurético, promovendo também outras ações secundárias, tais como: efeitos anticolinérgicos, antidepressivos, miorelaxante e antiarrítmico. No entanto, seu mecanismo exato de ação anticonvulsivante ainda não foi completamente esclarecido; estudos sugerem que esta pode deprimir a atividade do núcleo ventral anterior do tálamo, entretanto o significado deste efeito ainda não está completamente demonstrado na literatura.





Como antineurálgico pode atuar no Sistema Nervoso Central (SNC) diminuindo a transmissão sináptica ou a adição da estimulação temporal que origina descargas neuronais. Devido ao influxo de sódio, pode ser observado na célula neuronal o início da propagação do potencial de ação, e os neurônios que apresentam uma maior freqüência excitatória de disparo reduzem a sua atividade

A CBZ pode exercer efeito potencializador da ação neuronal GABAérgica, por meio da inibição da geração dos potenciais de ação. A ação do GABA inibe diversos sistemas de neurotransmissão, funcionando como um depressor do SNC.

Enquanto a redução da liberação de glutamato e a estabilização das membranas neuronais podem contribuir principalmente para os efeitos antiepilépticos, a literatura sugere que a CBZ atua também em nível pré-sináptico, diminuindo a neurotransmissão sináptica. Acredita-se que este efeito é provavelmente responsável pela sua ação anticonvulsivante. Por sua vez, os efeitos depressivos sobre o "turnover" da dopamina e da noradrenalina podem ser responsáveis pelas suas propriedades antimaníacas.

Fonte: Revista Eletrônica de Farmácia (Vol. VII)




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares