Paracetamol além da hepatotoxicidade


O paracetamol é um analgésico comercializado como um MIP, sigla que caracteriza um medicamento isento de prescrição. Trata-se de um fármaco amplamanete conhecido e utilizado pela população em geral em casos de dor ou febre.

Assim como ocorre com qualquer outro medicamento, sempre há um comentário a respeito de efeito colateral ou reação adversa que acaba sendo mais vinculado ao produto, pelo fato de a informação ser mais repetida entre o público. No caso do paracetamol, temos a hepatotoxicidade, isto é, o efeito tóxico que o medicamento pode produzir ao fígado, geralmente quando utilizado em doses acima das recomendadas.

Sendo que informação não ocupa espaço, podemos ir além da hepatotoxicidade no caso do paracetamol, citando outras possíveis consequências igualmente relevantes e, de modo geral, não tão conhecidas, ou mesmo desconhecidas. Farei isso por meio de tópicos, disponibilizando links referentes a cada tema abordado, a quem desejar aprofundar a leitura. Vamos a eles:




- O paracetamol está relacionado ao desenvolvimento de asma. Saiba mais: Relação entre paracetamol e asma

- Assim como pode ocorrer com o uso de ibuprofeno, o paracetamol é associado à perda auditiva. Saiba mais: Paracetamol e ibuprofeno relacionados à perda auditiva

- O uso na gravidez, bastante recomendado devido à contraindicação de dipirona nesta condição, não é completamente seguro. Estudos apontam risco de autismo e hiperatividade ao feto, além da possibilidade de redução de testosterona. Saiba mais: Risco de autismo e hiperatividade ao feto / Saiba mais: Redução de testosterona nos fetos masculinos

As fontes para cada informação são citadas ao final do artigo em seu link correspondente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares