Tipos de expectorantes: mucocinéticos e reflexos


Expectorantes mucocinéticos ou mucolíticos

São indicados em quadros onde a secreção se apresenta espessa e purulenta, promovendo a diminuição da viscosidade do muco e facilitando sua eliminação.

- Exemplos de fármacos:

Acetilcisteína: interage com as mucoproteínas presentes na secreção brônquica, sendo eficaz na redução da consistência e elasticidade do muco.

Ambroxol: atua reduzindo a viscosidade do muco e ativando o epitélio ciliar, facilitando o transporte e a expectoração, aliviando a tosse.





Expectorantes reflexos

Promovem a irritação da via respiratória, fazendo com que as glândulas brônquicas secretem muco na concentração fisiológica, com 95% de água e 5% de glicoproteínas. Esse muco se solubiliza ao catarro, tornando-o menos fluído e facilitando sua eliminação.

- Exemplos de fármacos:

Iodeto de potássio: atua nas terminações nervosas do estômago, promovendo aumento do reflexo das secreções salivares, nasal, lacrimal e também, traqueobrônquica.

Guaifenesina: provoca irritação gástrica com ação direta sob as terminações nervosas. Podem causar diminuição da adesão plaquetária, devendo ser utilizada com cautela em pacientes com distúrbios da coagulação.

Fonte: infoescola.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares