A expansão da indústria farmacêutica e a competição por vendas pioram a saúde pública?


Dados de 30 países ao longo de mais de 27 anos, mostraram que a expansão da medicina em geral melhorou a saúde da população. Contudo, a expansão da indústria farmacêutica mostrou-se associada a efeitos negativos na saúde da população.

Os dados mostram que a indústria farmacêutica e médica sofreu uma expansão maciça em todo o mundo ocidental desde meados do século 20.

Para verificar se essa expansão beneficiou a saúde pública em geral, os pesquisadores usaram dados de 30 países membros da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o que inclui a maioria das democracias mais ricas do mundo.




Hui Zheng (Universidade Estadual de Ohio) e Linda George (Universidade Duke) analisaram como diferentes tipos de expansão médica se relacionaram à saúde da população entre 1981 e 2007. Especificamente, eles relacionaram a expansão da indústria e dos cuidados médicos à expectativa de vida ao nascer, à expectativa de vida de homens e mulheres aos 65 anos, e da mortalidade por todas as causas.

Verificou-se que duas medidas de expansão da indústria farmacêutica - aumento nas vendas e mais recursos gastos em pesquisa e desenvolvimento pela própria indústria - mostraram-se diretamente associados à menor expectativa de vida entre as mulheres de 65 anos ou mais, e com o aumento das taxas de mortalidade em geral da população

"Nós descobrimos que, à medida que a indústria farmacêutica se expande, há uma diminuição no impacto benéfico da especialização médica na saúde da população," disse Zheng.




"Pode ser devido aos efeitos colaterais tóxicos dos medicamentos, às práticas de prescrição dos médicos, ao uso indevido dos medicamentos pelos pacientes, a razões relacionadas às estratégias de marketing da indústria farmacêutica ou a uma combinação desses fatores,"

O estudo foi publicado no Journal of Health and Social Behavior.

Fonte: Diário da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares