Levotiroxina em casos de cirurgia de estômago ou em uso simultâneo com outros medicamentos


Abaixo seguem informações referentes ao uso de levotiroxina, retiradas do site do Instituo da Tireoide, úteis para pacientes em reposição hormonal tireoidiana e que passaram por cirúrgia de estômago, ou ainda que fazem uso de outros medicamentos e, portanto, sob risco de interação medicamentosa.

Os estudos conduzidos com levotiroxina (LT-4) indicam que quando o medicamento é ingerido pela manhã, em jejum, o LT-4 é mais facilmente absorvido pelo tubo digestivo. De fato, detalhando o processo de absorção, verifica-se que a L-tiroxina, inicialmente, é dissolvida pelo suco gástrico de forma extremamente rápida e ágil.

Esta dissolução, em meio ácido, é muito importante para que a levotiroxina passe para a fase seguinte, ou seja, o sistema digestivo constituído pelo duodeno e demais porções do aparelho digestivo delgado, onde efetivamente a levotiroxina é absorvida. Estudos recentes conduzidos em indivíduos com falta cirúrgica do estômago demonstram que os pacientes pertencentes a esta categoria perdem parte da sua habilidade em absorver a levotiroxina.




Outras vezes, o paciente, tendo outras medicações a serem ingeridas pela manhã, pergunta ao endocrinologista se seria possível tomar o medicamento (levotiroxina) à noite, antes de dormir. Muitos dos pacientes que adotaram esse tipo de horário, quando testados em exames de sangue (T4 livre e TSH), mostraram que a ingestão noturna do produto continuava excelente, não havendo diferença com a tomada da levotiroxina em jejum pela manhã.

Esta última informação é especialmente útil a quem está em tratamento com levotiroxina e também com supressores da acidez estomacal, tais como inibidores da bomba de prótons (ex: omeprazol, pantoprazol). Sabe-se que a alteração do pH estomacal poderá interferir na absorção da levotiroxina, de forma que o relato do texto do Instituto da Tireoide pode servir como alternativa de como seguir o tratamento neste caso, sempre sob orientação do prescritor.

Fonte: Instituo da Tireoide (indatir.org.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares