Pós-Graduação: mais risco ou mais benefício?


Todo estudante de graduação vislumbra o seu futuro na profissão que está prestes a conquistar, assim como todo formado pretende dar sequência aos estudos para alcançar mais possibilidades. Diante disso, a grande maioria das pessoas considera matricular-se em uma pós-graduação.

Todo graduando ou formado sabe também, perfeitamente, que para dar sequência em seus estudos considerando uma pós-graduação, precisará investir nesta nova empreitada (claro que há programas de bolsa, mas é também tempo investido). Sendo um investimento, é possível considerar que se trata de algo 100% seguro? Não, infelizmente não é.




Há muitos casos de pessoas que cursam uma pós-graduação por continuarem sonhando com possibilidades além das oferecidas pelo seu curso superior e, no entanto, terminam apenas com menos dinheiro, mais um diploma na gaveta e a mesma atuação profissional de antes.

No caso da área farmacêutica, todos sabem que há inúmeras possibilidades de atuação profissional, afinal um monte de professores ficam repetindo isso ao longo da graduação (muitas vezes causando ilusões na cabeça dos alunos). Será que basta concluir a graduação, escolher uma das tantas áreas de atuação farmacêutica, efetuar a matrícula em uma pós e ser feliz para sempre? Infelizmente não é bem assim.

Quando o estudante consegue uma boa oportunidade de estágio e é efetivado, por exemplo, em um hospital, onde ele passa a adquirir experiência em uma determinada área e aí decide especializar-se com algo relacionado ao que já faz, a chance de dar certo é maior.




O mesmo ocorre com quem vai estagiar na manipulação e cursa uma pós em farmácia magistral, ou na homeopatia, na indústria com os assuntos regulatórios, e assim por diante.

E para quem não conseguiu um bom estágio, se formou e foi trabalhar em drogaria? Basta cursar uma pós em farmácia clínica para posteriormente ter emprego em um hospital? Nem sempre. Basta cursar uma pós em assuntos regulatórios para conseguir um emprego na indústria? Menos ainda.

O que o estudante precisa compreender é que não deve investir prontamente em uma pós-graduação de seu interesse, sendo que depois dependerá de mandar currículo e estará sujeito a uma série de fatores para este currículo colocá-lo onde deseja estar. Antes de investir, precisa realmente entender isso como investimento e compreender que há riscos envolvidos.




As mais diversas instituições que prestam serviços de educação superior farão o possível para seduzir os candidatos, a fim de conseguirem matrículas e contarem salas de aula cheias. Isso é ótimo para eles. Para todos os alunos que estão dentro de uma sala e que, ao concluírem o curso, disputarão pela mesma vaga no mercado, nem tanto. É preciso pensar antes de agir!

Não quero dizer que não vale a pena cursar uma pós. Pretendo apenas despertar a reflexão naqueles que agem no piloto automático, de modo a expor os dois lados da moeda. Tem uma opinião diferente a respeito? Comente e compartilhe sua visão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares