Refrigerante produzido no Brasil contém maior concentração de substância cancerígena no mundo


O Center for Science in the Public Interest (CSPI), de Washington (EUA), identificou que a Coca-Cola vendida no Brasil possui a maior concentração de 4-metil-imidazol (4-MI), um subproduto encontrado no corante Caramelo IV. Esta substância foi identificada como potencialmente cancerígena após testes realizados em cobaias de laboratório.




Para se ter uma ideia, cada lata do refrigerante vendido no Brasil contém 267mcg de 4-MI. O governo da California estipulou a necessidade de advertência na embalagem dos alimentos que contiverem concentração superior a 29mcg do 4-MI. Conforme vemos, o produto que o consumidor brasileiro encontra no supermercado está 9,2x acima do que seria considerado seguro.

Pesquisa realizada pelo IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) revelou que a regulação sobre o tema é falha no país e que fabricantes de energéticos e refrigerantes não estão dispostos a informar ao seu público a quantidade de substância tóxica contida nos produtos.




Há a expectativa de adequação ao níveis seguros por parte das entidades que realizam as pesquisas. Seja como for, é importante que o brasileiro considere a importância do consumo mais consciente em prol de sua própria saúde.

Fonte: revistaforum.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares