Sepse no Brasil mata mais do que infarto e câncer de mama


Desconhecida por 93% da população brasileira, de acordo com dados do Datalha para o Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), e erroneamente conhecida como infecção generalizada ou falência múltipla dos órgãos, a sepse é uma síndrome que pode ser definida como resposta grave do organismo a uma infecção.




O objetivo do ILAS em relação à pesquisa é traçar ações para a conscientização da população sobre um dos mais graves problemas do Brasil e do mundo: a sepse.

Em contrapartida, 98% de todos os entrevistados sabiam o que era infarto do miocárdio e 88% souberam responder quais eram os sintomas. “Infelizmente nosso país tem uma das maiores mortalidades de sepse do mundo.




Alguns estudos epidemiológicos mostraram que a mortalidade brasileira por sepse é maior do que a de países economicamente semelhantes, como a Índia e a Argentina”, lamentou o médico intensivista Dr. Luciano Azevedo, membro da diretoria do ILAS.

“A sepse é um importante problema de saúde pública no mundo, com estimativa de 400 mil casos/ano no Brasil, que acarretam cerca de 200 mil óbitos e elevados custos financeiros para o país”, disse o médico infectologista Dr. Reinaldo Salomão, presidente do ILAS.

Fonte: administradores.com.br

25 comentários:

  1. A pergunta que me resta é:
    - o sistema de saúde no Brasil funciona a ponto de estimular uma pessoa com dor de garganta ou uma infecção de urina procurar um hospital para o medico receitar um antibiótico?
    2 - Se o sistema de SAUDE é uma "merda", se faltam médicos, se as filas de atendimento demoram 4, 6, 12 horas para alguém ser atendido em caráter de apenas consulta, se os hospitais só priorizam emergências... por que os antibióticos são controlados?
    3 - Impedir o acesso a antibióticos com um sistema de saúde sucateado e falho não piorou os índices de sepse?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim piorou e muito. E agendamen tos SUS de 6 a 12 meses

      Excluir
    2. O primeiro problema é que a população de um modo geral não se preocupa com promoção de saúde e prevenção de doenças e agravos. As pessoas só procuram os serviços de saúde quando o problema já se estabeleceu. E ainda, procuram de forma errônea, pois dor de garganta e infecção urinária são demandas de baixa/média complexidade para serem atendidas em UBS ou UPAS e não em hospital. Se as pessoas tivessem o hábito de promover saúde e buscar por atendimento de forma correta, as coisas mudariam bastante. Sabemos que nossa saúde pública não é das melhores, mas em parte por culpa da própria população que ao buscar no hospital o tratamento para uma dor de garganta faz com que outra demanda mais grave deixe de ser atendida. E cabe destacar que a prevenção de infecções conta com medidas simples de higiene que em 90% dos casos não são empregadas. Quanto a liberação de antibióticos, infelizmente, nossa população não tem discernimento para saber a diferença entre inflamação e infecção, quem dirá, diferenciar infecção bacteriana de viral. Antibiótico trata APENAS infecção bacteriana, e o uso indevido contribuí para o surgimento das super bactérias que criam mecanismos de resistência. Dor de garganta não requer uso de antibiótico em 80% dos casos, pois a maioria se trata de infecções virais. Cabe a reflexão: é fácil jogar a culpa no poder público, mas fazemos a nossa parte?

      Excluir
    3. Culpando a vítima? Típico de médicos que podem matar na certeza da impunidade, uma vez que "erros acontecem", não é mesmo? Fiz exame solicitado pelo médico, levei meses até conseguir apresentar para ele e, ele pediu novos pois os anteriores estavam defasados. Fiz os exames, estou com eles prontos a 2 meses e, consegui consulta para o mês que vem, porque alguém desistiu no momento que eu tentava marcar um horário. Se liguem. Médio pode ficar impune da justiça no país, lembro de muitos batendo o ponto com dedo de silicone. Mas doença não escolhe paciente. E pau que bate em Chico.........

      Excluir
  2. Respostas
    1. Isto e feito para exterminar o povo Porque ? Ficam amontoados juntos com vários tipos de doentes tb

      Excluir
  3. Não acredito que a liberação de antibióticos reduziria os casos. Temos que considerar que a administração de antibióticos pode gerar resistência bacteriana. Sobre o SUS, complemento ainda a associação que fazemos sobre os casos de baixa complexidade que insistem em buscar os Hospitais Gerais, quando poderiam utilizar de recursos de baixa e média complexidade. Precisamos educar a população sobre o SUS... A informação, certamente, reduziria a fila, como citado acima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem escreveu isso não depende do SUS pois saberia que é extremamente difícil ser atendido, e quando atendido com qualidade, na atenção básica. Entra prefeito, sai prefeito, e a atenção básica continua péssima.

      Excluir
    2. Sim , mas eles São tratados grande e podermos hospitais sem espera eles nem sabem do sus .

      Excluir
  4. A maior parte da procura do SUS são atrás dos atestados médicos visto finais de semana Upas vazias porém segunda feira boa sorte a todos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom. Envia o endereço porque na minha cidade, UPAs ficam abarrotadas nos finais de semana, que é quando os pais estão em casa, para levar as crianças para uma consulta de emergência. E SUS a muitos anos que não fornece atestado. Acho que já uns 17 anos que essa prática acabou.

      Excluir
    2. SUS não fornece atestado? Claro que sim. Dependendo da sua doença. Se for lá e ficar somente no soro recebe atestado de horas, prática comum pelo procedimento. Se estiver doente de fato e precisar se afastar, receberá.

      Excluir
  5. na minha opinião. eu acho que deveria liberar os antibióticos.

    ResponderExcluir
  6. O sistema único de saúde (SUS) No meu ponto de vista é o único que dá assistência à saúde para todos. Ele é completo infelizmente a falta de assistências a saúde para a população depende exclusivamente dos governos federais,estaduais e municipais.portando não culpam os o SUS por não ter atendimento adequado,infelizmente somos culpados por colocamos políticos
    Para nos representar e não cobramos o nosso direito;como cidadãos civis. Toda a minha família usamos do SUS e agradeço até agora por esse sistema existir. Vamos cobrar mais é nosso dever é atraveis dosnossos impostos que ele funciona. Até porque governo nem um dá nada de graça para ninguém.

    ResponderExcluir
  7. Como não , eles roubam , e depois não tem dinheiro para ajudar a população não vamos mas votar vamos mostrar para eles quem manda

    ResponderExcluir
  8. Não generalizando, porq sei q o Sus em algumas cidades do país funcionam muito bem. ;creio também q a ignorância em alguns aspectos das pessoas; deixam chegar ao limite alguns sintomas,chegando o organismo a um ponto q nao ha mais condição de recuperação.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Sus é abatedouro de gente! Nunca tem recurso para nada! E quando a pessoa tem uma doença grave a qual não pediu pra ter essa pessoa se ferra quando é internada e contrai essa sepse! Ai a pessoa morre e os covardes vão colocar outra coisa no atestado de obito! País lixo de politicos lixos que não usam o SUS

    ResponderExcluir
  11. Hospital Ronaldo Gazolla matou minha mãe com a sepse e tantas outras negligência,não humanizado com um corpo fraco de médicos e procedimentos q levam uma eternidade para serem administrados.Sus ainda não dá suporte efetivo a população.

    ResponderExcluir
  12. Vivenciei este problema em julho de 2017 mais precisamente com meu marido. O que constatei na pele é que a saude púplica no Brasil, não está preparada para diagnosticar a sepse pois, existe um exame de sangue específico para isso e em momento algum foi feito na UPA da cidade onde os fatos ocorreram. Foram feitos exames de rotina, sangue, urina e nesses exames não se constata sepse mesmo. É uma infecção que se não diagnosticada a tempo, leva a óbito mesmo. Daí vc tem a informação, depois do ocorrido que feito o diagnóstico se não entrar com antibiótico em seis horas "adeus". No caso do meu companheiro mesmo tento problema de insuficiência cardíaca ainda por ser um homem muito forte, resistiu 21 dias na Santa Casa de Rio Claro, más nos deixou. Meu conforto? somente nos braços do Senhor Jesus que sabe de todas as coisas e da nossa hora também....que o Senhor conforte os corações de todas as pessoas que sofreram com perdas assim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc, minha sogra sofreu 19 dias até o seu falecimento. As Upas não está preparadas para tratar paciente assim, sentimos na pele.

      Excluir
  13. A crise está na formação médica brasileira. Não sabem diagnosticar!
    Milhares morrem no Brasil por erro médico. Não temos um judiciário a altura para a solução deste genocídio.

    ResponderExcluir
  14. So pode estar de brincadeira, vc nao deve usar a rede pública neh?
    Va ate uma ubs e tenta agendar uma consultabe ai vc ira ie dizer se é a população bque usa de forma errônea, nao tem medico no posto, e quando tem leva mais ou menos se 6 a 8 meses pra conseguir uma consulta, exames e luxo, entao so resta o pronto atendimento, que tbm ta uma bosta, ntao me desculpe o poder público tem culpa sim, fariamos a jossa se tivessemos medicos suficiente para tratar o povo, mais nao temos, e os poucos que tem nao tem comprometimento com a profissão, esses dias fui passar meu filho no pediatra pois ele tem presao de ventre, cheguei no posto a medica se recusou a atender pois estava com agenda lotada demais pra atender um agendamento feito pelo aplicativo que o próprio prefeito disponibilizou para nos nosdar consulta, ela falou esse prefeito acha que somos besta, nao vou atender, tive que brigar pra ser atendida na ubs, e quando fui atendida, falou espera dar crise e vai para o pronto socorro ����
    Ai vc me diz oque?
    Me desculpa mais muitos so vao no hospital quando estao ja lascado pq infelizmente nao temos medicos bons, hospitais, na verdade estamos cada vez mais afundando.

    ResponderExcluir
  15. Minha sogra morreu de sepse, corremos com ela por 19 dias até no a aguentar mais e falecer. Primeiro dia levamos a Upa central de santo andre, estava desidratada e com dificuldades para andar e comer,pressão alta. Tomou soro,remédio para pressão, exame de sangue e exame de urina teve que ser sondada para fazer, pois não conseguia. O Dudu saiu preto, are a enfermeira se assustou, só que os exames não deu nada. Ou seja continuou na mesma. Depois de 4 dias cuidando dela, desde alimentação, banho, pq não conseguia fazer mais nda, voltamos a outro hospital upa de São Caetano, lá sim o e exame deu infecção forte de urina, começou fazer uso de antibiótico rocefin iv, tivemos que leva lá durante 7 dias a upa de São Caetano para tomar a medicação na veia, santo andre não tinha o remédio nas upas. No 4 dia, teve piora e foi levada de ambulância para a upa Sacadura Cabral, mais uma hora teria falecido em casa, já estava com sepse, infecção generalizada, lá não tinha tdo oq ela precisava, conseguimos vaga na uti da Santa casa de santo andre, foi muito bem cuidada, tratada..depois de vários antibióticos, vários exames, não teve melhora ..e veio a falecer, teve parada cardíaca. A infecção vendeu.

    ResponderExcluir

Os artigos mais populares